Agricultura irrigada é estratégica para soberania alimentar, afirma especialista do GPP

Em evento para marcar o Dia Nacional da Agricultura Irrigada – comemorado neste 15 de junho – o pesquisador do GPP Alberto Barretto destacou o papel da agricultura irrigada como elemento estratégico para ajudar o sistema alimentar brasileiro a superar seu mais incômodo paradoxo: a expansão territorial e produtiva da agropecuária simultânea ao recrudescimento da insegurança alimentar da população. Dados recentes da Rede Penssan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar) mostraram que mais da metade da população brasileira enfrenta algum grau de insegurança alimentar e, desses, 33 milhões passam fome.


Segundo Barretto, o potencial de ampliação da área irrigada no Brasil é de até 53,4 milhões de hectares irrigados, partindo dos atuais 8,2 milhões já instalados – e isso sem o comprometimento de outros usos de recursos hídricos, devido ao uso de tecnologias já disponíveis. “Esse é um uso seguro e pode ser um estoque não só brasileiro, mas planetário. Porque para tratar a questão ambiental e segurança alimentar, a irrigação vem, primeiro, cumprir a missão de fazer uma fronteira agrícola onde já existe agropecuária. Inclusive, podemos pensar na irrigação como nossa última fronteira agrícola em que esses 53,4 milhões de hectares é o que temos para trabalhar nos próximos 30 anos”, afirmou o especialista.


Barretto sublinhou ainda a multidimensionalidade da questão da segurança alimentar, que transborda os limites do rural. “A combinação equilibrada de disponibilidade, acesso e utilização dos alimentos é o que compõe a segurança alimentar. Não adianta ter disponibilidade e não ter renda ou ter renda e não saber utilizar esses alimentos para montar uma dieta que vai manter a segurança alimentar”.


A palestra “Irrigação e segurança alimentar” foi organizada pela CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil). Também participaram Frederico Cintra, coordenador Geral de Irrigação e Drenagem do Ministério da Agricultura, que apresentou a proposta do Programa Nacional de Agricultura Irrigada que o órgão está desenvolvendo; e Rodrigo Mendes, coordenador de Polos e Projetos de Irrigação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), que explicou como funciona o Programa dos Polos de Agricultura Irrigada.


Leia mais sobre o encontro no site da CNA.