Uso sustentável dos
recursos hídricos

agrirri.png

Em 2014, o GPP, sob demanda do então Ministério da Integração Nacional (MI), iniciou um estudo de modelagem espacial de cobertura nacional a fim de verificar as áreas passíveis de adoção da agricultura irrigada, através de análise territorial explícita que contemplou a dimensão física do território (vazão dos rios, regime natural de chuvas, aptidão agrícola, entre outras variáveis) em combinação com temas ambientais, sociais e econômicos. Desdobramentos deste estudo pioneiro se deram com o desenvolvimento de novos trabalhos, sempre incorporando bases de dados atualizadas e ferramentas para processamento e modelagem mais eficientes, capazes de orientar estratégias diferenciadas para cada porção do território brasileiro. Um importante desdobramento foi o estudo realizado junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA), que indica as áreas potenciais para adoção da agricultura irrigada no Brasil, com diferentes graus de prioridade e estratégias de ação em função da disponibilidade de infraestrutura e da agricultura irrigada já instalada. O estudo subsidiou a elaboração do Plano de Ação Imediata da Agricultura Irrigada no Brasil para o período de 2020-2030 e os seus resultados contribuíram para a construção do Atlas Irrigação 2021: Uso da Água na Agricultura Irrigada (2ª edição), iniciativa da ANA.

 

Essas experiências voltadas à agricultura irrigada, principal uso consuntivo da água no meio rural,  capacitaram o GPP a atuar de forma abrangente e multidisciplinar no tema “uso sustentável dos recursos hídricos”.