GPP contribui com estudo que avalia políticas de sustentabilidade para soja


O TRADE Hub lançou nesta quarta-feira (31/8) estudo que avalia políticas com potencial para aumentar a sustentabilidade da cadeia produtiva da soja no Brasil e no mundo. A investigação, intitulada “Moving towards a sustainable soybean supply chain”, é liderada por Marcello De Maria e teve contribuições dos pesquisadores do GPP/Esalq Arthur Fendrich, Alberto Barretto, Adauto Rocha Junior e Simone Ranieri.


Leia o estudo na íntegra [em inglês]


Uma das commodities agrícolas mais importantes no mercado internacional, a soja teve expansão territorial e produtiva considerável nas últimas décadas no Brasil, hoje o maior produtor mundial do grão. Da mesma forma, também cresceu o número de iniciativas de sustentabilidade em sua cadeia produtiva – o que, contudo, não evitou que uma série de impactos socioeconômicos e ambientais negativos estejam associados ao cultivo.




“Nos últimos 15 anos, várias medidas e políticas foram elaboradas e implementadas para atender às preocupações de sustentabilidade em torno de todo o ciclo de vida da soja, mas – apesar de alguns avanços – nenhuma provou ser totalmente bem-sucedida ainda. Assim, a questão de como melhor projetar e harmonizar instrumentos de política sustentável na cadeia produtiva da soja permanecem abertos”, afirmam os autores na introdução do estudo. O intuito, aliás, é contribuir exatamente nessa abertura.




Principais achados

Entre os principais achados, os pesquisadores destacam a heterogeneidade das políticas e ferramentas analisadas, que podem trazer resultados diferentes quando aplicadas em comunidades e territórios distintos. Além disso, embora as medidas de sustentabilidade na cadeia produtiva da soja tenham aumentado em número e diversificado seus escopos, nenhuma provou ser totalmente bem-sucedida, e seu nível de harmonização com outras políticas ainda é limitado, exigindo mais esforços para a identificação da combinação ideal de arranjos institucionais.



“Para apoiar uma maior harmonização institucional, revisamos os pontos fortes e as limitações associadas a cada instrumento de política, desenvolvendo uma estrutura de visualização original e intuitiva para posicionar diferentes medidas dentro do cenário institucional, apontando seus limites jurisdicionais e destacando as partes interessadas com o poder de influenciar seu desenho e implementação”, escrevem os autores.


Sobre o TRADE Hub

O TRADE Hub (Rede de Comércio, Desenvolvimento e Meio-Ambiente, em livre tradução para o português) integra os esforços do Centro de Monitoramento da Conservação Mundial do PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente). O projeto reúne mais de 50 organizações de 15 países diferentes com o intuito de tornar o comércio mais sustentável para as pessoas e para o planeta. Saiba mais.